O DOJ dos Estados Unidos apreende moedas de bitcoins no valor de US$ 1 bilhão Alegadamente Pertencendo à Rota da Seda

O DOJ dos EUA está processando pela confiscação de bitcoins, no valor de mais de US$ 1 bilhão, que apreendeu na terça-feira. É a maior apreensão do BTC que os Estados Unidos já fizeram.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos confiscou cerca de US$ 1 bilhão de Bitcoin Future na terça-feira. Hoje ele está processando pela confiscação do BTC que o pessoal federal confiscou. As moedas supostamente pertencem ao agora extinto mercado de moedas escuras da Rota da Seda.

O DOJ dos EUA quer a confiscação de moedas de bitcoin no valor de $1 bilhão

Conforme o último relatório da Bloomberg, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos quer a confiscação imediata de bitcoins no valor de US$ 1 bilhão que apreendeu na terça-feira.

O estoque do BTC pertence aos operadores da Silk Road. E seu confisco é um dos maiores até o momento para o país, o que tem sido muito noticiado por prender crimes relacionados à moeda digital.

Os bitcoins constituíram a 4ª maior carteira da BTC no mundo. Quando as moedas começaram a sair do esconderijo, a empresa Elliptic de análise de cadeia de bloqueios sinalizou a transação com as raízes da Rota da Seda.

As autoridades federais americanas não perderam tempo em apreender os fundos. Através do confisco, as autoridades realmente tiraram uma parte significativa das moedas de bitcoins de circulação.

Mais detalhes e implicações

Como Aconteceu
De acordo com a Bloomberg, esta é a razão por trás da bomba maciça da BTC que a levou acima da marca de preço de $15.000. Os principais meios de comunicação relatam que os oficiais da lei leiloaram moedas criptográficas apreendidas, mas muito mais tarde, após apreendê-las.

O documento oficial de reclamação revela que, juntamente com as moedas bitcoins reais, os garfos de destaque da moeda criptográfica superior – Bitcoin Gold (BTG), Bitcoin Cash (BCH), e Bitcoin SV (BSV) também estavam presentes em quantidades iguais como suas moedas-mãe.

A Propriedade Réu é aproximadamente 69.370.22491543 Bitcoin (BTC), 69.370.10730857 Bitcoin Gold (BTG), 69.370.10710518 Bitcoin SV (BSV), e 69.370.12818037 Bitcoin Cash (BCH), obtido de 1HQ3Go3ggs8pFnXuHVHRytPCq5fGG8Hbh em ou por volta de 3 de novembro de 2020.

O cientista chefe da Elliptic afirma que um homem de dentro filiado à Rota da Seda iniciou a transação, com a possibilidade adicional do próprio Ulbricht estar envolvido na transação do bitcoin a partir da quarta maior carteira.

Mas a „reclamação por confiscação“ oficial diz o contrário. O documento designa a pessoa como ‚Individual X‘ e afirma que a ‚identidade do gerador da transação é conhecida do governo‘.

De acordo com a investigação, o Indivíduo X foi capaz de invadir a Silk Road e obter acesso não autorizado e ilegal à Silk Road e assim roubar a moeda criptográfica ilícita da Silk Road e movê-la para as carteiras que o Indivíduo X controlava.

A queixa alega ainda que Ulbricht veio a saber quem é o Indivíduo X e ameaçou o indivíduo de devolver os fundos de bitcoin roubados. Mas, para desgosto do primeiro, o segundo não entregou o BTC. Além disso, o BTC não foi entregue,

…em 3 de novembro de 2020, o indivíduo X assinou um Consentimento e Acordo de Confisco com a Procuradoria Geral dos Estados Unidos, Distrito Norte da Califórnia. Nesse acordo, o indivíduo X, consentiu com a confiscação da Propriedade do Réu ao governo dos Estados Unidos.

O que acontece agora

Os Estados Unidos ordenaram a confiscação completa de todos os fundos de bitcoin apreendidos. As partes envolvidas, Ross Ulbricht e outros operadores da Silk Road, terão uma chance de defender sua posição. Além disso, ele pode alegar a retirada total da ordem de confiscação.